Relatório da Diretoria - Jun a Nov de 2016

1

Ao longo do ano, muitos foram os desafios enfrentados pela diretoria, e dentre eles, talvez o principal, seja o de driblar a crise econômica e então terminar o ano com os compromissos em dia. As receitas não cresceram como o esperado, e alguns custos sofreram reajuste. Além disso, por mais que tenhamos insistido, muitas igrejas continuam insensíveis e indiferentes ao compromisso que um dia assumiram, o de serem cooperantes no envio do plano cooperativo estadual e nacional, e também no envio da oferta missionária.

A despeito das inúmeras dificuldades, a diretoria não tem limitado esforços tanto para atender às demandas das estaduais quanto para e resolver as questões administrativas e fazer o trabalho de representação.

Atividades realizadas neste período:

JUNHO
3No dia 22, os presidentes e os secretários executivos da CBN e da Lerban estiveram na sede da Sociedade Bíblica do Brasil, em Barueri/SP, para tratar da publicação de uma Bíblia comemorativa da CBN.

JULHO
De 01 a 03, o presidente esteve em Salvador a convite da Regional Metropolitana, onde foi um dos preletores do Congresso “A simplicidade do Evangelho”.

Nos dias 07 e 08, o presidente esteve em Jundiaí/ SP, participando da Assembleia Geral daquela estadual.No dia 27 de julho, o presidente esteve em Santana do Parnaíba/SP, na sede da Embracon para tratar de uma possível parceria da CBN com aquela instituição.

AGOSTO
De 03 a 05 deste mês a diretoria participou do Congresso Nacional da Ormiban na cidade de João Pessoa/ PB. Na ocasião a diretoria se reuniu nas dependências do hotel Tambaú.

De 15 a 18, o presidente participou da Transnações 2016, durante as Olimpíadas, na cidade do Rio de Janeiro, em parceria com a Convenção Batista Brasileira.2

Nos dias 27 e 28, a convite da Igreja Batista Nova Sião, de Vitória da Conquista/BA, o presidente ministrou na celebração de aniversário daquela igreja.

SETEMBRO
De 19 a 23, o presidente representou a CBN no III Congresso Brasileiro de Pastoreio de Pastores promovido pela ABPP.
De 27 a 29, toda a diretoria esteve em Valinhos/SP com mais 30 líderes de todo Brasil, no workshop do Planejamento Estratégico para o decênio 2017/2026.

OUTUBRO
Dia 08, o presidente ministrou numa reunião de pastores da CBN-PE, na cidade de Recife. Neste mesmo dia, também ministrou no congresso estadual de homens, que aconteceu na cidade de Vitória de Santo Antão, na Igreja Batista Moriá.

4De 12 a 14, o presidente da CBN participou da Conferência Nacional Multiplique 2016, promovido pela Convenção Batista Brasileira que aconteceu na cidade de Guarapari/ES.

No dia 19, a convite da Igreja Batista Betel em Capivari/SP, o presidente ministrou nas comemorações de mais um ano de organização daquela igreja.

Dia 22, a convite da Igreja Batista da Vila Maria, em São Paulo, o presidente pregou no aniversário daquela igreja.

NOVEMBRO
De 10 a 12, os membros da diretoria estiveram em Aracaju/SE para a reunião quadrimestral e também participaram do Confeban. Na ocasião, o presidente ministrou uma palavra à liderança do estado em um encontro, na Igreja Batista Betel e ainda foi um dos preletores do Confeban.

Dia 19, o presidente ministrou na celebração do 10º aniversário da Faculdade Teológica do ABC, na cidade de São Bernardo/SP.

5No dia 29, o presidente esteve em Brasília/DF onde realizou reunião na sede da CBN e à tarde participou das comemorações do 4º ano da Anajure – Associação Nacional dos Juristas Evangélicos, que é presidida pelo Dr. Uziel Santana, membro da Igreja Batista Betel, em Aracaju (Igreja filiada à CBN).Além das atividades acima, pautaram nossas colaborações nos seguintes ações: desenvolvimento de projetos, Plano Decenal, elaboração do devocional da 2ª Campanha Nacional de Oração e Jejum, Projeto Transnações 2016, confecção da agenda 2017, preparação das celebrações do cinquentenário da CBN, entre outras.

Louvamos ao nosso Deus pela oportunidade de servir e por ter ao nosso lado pessoas profundamente comprometidas com a causa Batista Nacional.

Manifesto dos Líderes das Igrejas Evangélicas Históricas

Manifesto dos Líderes das Igrejas Evangélicas Históricas

Ai dos que decretam leis injustas, dos que escrevem leis de opressão, para negarem justiça aos pobres, para arrebatarem o direito aos aflitos do meu povo, a fim de despojarem as viúvas e roubarem os órfãos! Is 10.1-2

Os líderes e representantes das igrejas evangélicas históricas abaixo nominadas, diante da sua responsabilidade de anunciar e viver as demandas éticas que a fé cristã lhes impõe, deparando com o atual momento da política brasileira e as recentes decisões do Legislativo ao analisar as propostas de combate à Corrupção, publicam o presente MANIFESTO:

1) O Projeto de Lei com a proposta de Dez Medidas contra a corrupção recebeu considerável apoio de cerca de 2,4 milhões de cidadãos brasileiros que se sentem cansados pela cultura de corrupção, principalmente na esfera política;

2) As Dez Medidas propostas, embora mereçam reparos e adequações pelo Legislativo, representam o anseio por um país mais justo e sem impunidade;

3) A Operação Lava Jato, apesar de alguns equívocos cometidos, bem como da “espetacularização” de algumas ações, tem tido, no seu todo, um empenho considerável no enquadramento legal de poderosos envolvidos em milionários esquemas de corrupção, os quais lesaram empresas e interesses públicos e sempre se julgaram acima da lei;

4) A Operação Lava Jato, a fim de preservar sua legitimidade e garantir sua efetividade, precisa de condições jurídicas e institucionais para continuar o seu trabalho, enquadrando corruptos de todos os partidos e tendências, sem nenhuma distinção;

5) A Câmara dos Deputados aprovou inicialmente o projeto das Dez Medidas, mas posteriormente fez alterações substanciais, desfigurando o projeto ao introduzir elementos totalmente alheios ao espírito da proposta original;

6) O presidente do Senado Federal, ao tentar aprovar o Projeto de Lei desfigurado pela Câmara apressada e estrategicamente, evidenciou interesses escusos contra uma legislação mais rígida no combate à corrupção;

7) A aprovação de leis visando a correção de desvios no Judiciário e Ministério Público, incluindo as enormes discrepâncias salariais, precisa ser tratada de modo específico e não como retaliação ou intimidação.


CONCLAMAMOS:
a) Os cidadãos brasileiros para que acompanhem atentamente o posicionamento dos seus representantes e cobrem o esclarecimento de sua postura em todo esse processo. Um país mais justo se faz e se constrói não apenas com leis mais justas, mas também com atitudes participativas dos seus cidadãos. A omissão e a passividade são o ventre onde políticos e cidadãos corruptos vicejam. Nesse sentido, é oportuna a expressão: “O preço da liberdade é a eterna vigilância”.

b) O povo brasileiro, mormente os cristãos evangélicos, a se manifestar por todos os meios, exercendo o seu direito e protestando conscientemente contra todas as formas de manipulação e tentativa de deixar as coisas no presente estado.

c) Os poderes constituídos em nosso país, particularmente o Legislativo e o Executivo da República, para que tomem consciência de que a população brasileira cansou de ver traída sua expectativa de que se legisle e se governe para que a dignidade humana seja respeitada e promovida.

logo igrejas historicas

Socorro a Nicolândia/MG

O distrito de Nicolândia/MG foi atingido por tromba d'Água na noite da última sexta-feira (dia 18). 42 casas foras atingidas e 127 estão desabrigados. 5 pessoas desapareceram na enxurrada. 3 corpos já foram encontrados. O vice-moderador da Igreja Batista Nacional ainda está desaparecido.
A Igreja Batista Tabernáculo da Fé de São Félix está coletando doações (roupas, colchões, alimentos não perecíveis, água) para entrega na próxima segunda-feira (28 de novembro).


Rua Juarez Ribeiro Portes, 113, Centro, São Félix de Minas
Pr Cláudio Giomar
(33) 98892-0477


Os que desejarem contribuir financeiramente:
Igreja Batista Tabernáculo da Fé
CNPJ 04.577.707/0001-16
Banco Sicoob
Ag 3027 c/c 22520-7


Continuemos em oração!!

Reunião de Planejamento Decenal

A CBN realizou nos dias 27-29 de setembro, na cidade de Valinhos-SP, uma reunião para elaboração do Planejamento Decenal (2017-2026). Contando com a participação de 40 representantes de vários estados e órgãos de nossa Convenção, num clima de alegria, cooperação e disposição, e sob a direção do Espírito Santo, fomos orientados pelo Pr. Wilson Costa, consultor da Pró Eficiência.

Durante o encontro, realizamos o diagnóstico institucional e para consecução dos trabalhos foram designadas comissões que elaborarão os planos de ação referente aos inúmeros projetos. Esses projetos foram organizados em cinco grandes programas, que conduzirão a CBN nos próximos dez anos. Oremos para que na execução dos trabalhos, Deus seja glorificado e nossa CBN alcance os objetivos projetados.

É TEMPO DE CLAMAR PELO BRASIL!

ClamorpeloBrasil interna

Diante dos acontecimentos nos últimos dias, a saber: as manifestações do dia 13/03; as denúncias do Senador Delcídio do Amaral, a homologação pelo Supremo do ritual do impeachment; a nomeação para Ministro da Casa Civil do ex-presidente Lula; a divulgação de áudios das conversas do ex-presidente Lula; as manifestações em todo o país contra e a favor do impeachment da presidente Dilma e à nomeação do ex-presidente Lula para Miinistro; a abertura do processo de impeachment; e as diversas reações de inúmeros setores da sociedade, entendemos ser este um dos momentos mais críticos de nossa história, razão pela qual a Igreja do Senhor precisa se levantar e cumprir o seu papel.

Face a crise política, moral, econômica, institucional e social pela qual passa o Brasil, conclamamos os Batistas Nacionais, bem como todo aquele que crê em Deus, por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo, a orar e jejuar por nossa Pátria e por seu povo. 
Levantemos um clamor com base em 2Cr 7.14 para que Ele intervenha em nossa nação, de tal maneira que a justiça prevaleça, as instituições democráticas sejam preservadas e nenhuma vida ceifada.

Nossa orientação, de hoje até o dia 1º de maio, é que sejam marcadas vigílias e reuniões de oração e Jejum e que em cada culto haja momentos de oração com este propósito.

Diretoria da CBN (biênio 2016/2017)

Mulheres e Crianças Primeiro

O ebola mata em questão de dias; o Zika, entretanto, compromete uma vida inteira ao atingir a criança ainda no útero materno, podendo ocasionar a microcefalia.
Mulheres e crianças brasileiras (e de várias outras regiões do globo) vivem a angústia de serem os mais vulneráveis entre os atingidos por essa epidemia.

50% dos lares brasileiros ainda não têm coleta de esgoto, que muitas vezes é lançado in natura nos rios e corpos d'água; há precariedade no processamento do lixo; a ininterrupta impermeabilização dos solos dificulta a drenagem da água da chuva. Esses são alguns dos fatores que tornam o Brasil um ambiente extremamente propício à proliferação do Aedes aegypti.

A cultura da miséria favorece a cultura do mosquito.

Em 2016, o tema da Campanha da Fraternidade Ecumênica é o Saneamento Básico. Organizações religiosas participaram na última terça-feira de uma reunião com a presidente Dilma Rousseff para discutir ações conjuntas do governo com as igrejas no combate ao mosquito e às doenças que ele provoca.

Igrejas evangélicas em todo o Brasil têm se apresentado para o serviço voluntário, não apenas esclarecendo seus membros sobre os cuidados necessários, mas também fazendo parcerias com órgãos competentes para ações relevantes na comunidade.

A vacina contra o Zika Vírus ainda pode demorar a chegar, mas é urgente uma ação efetiva para a solução de problemas estruturais brasileiros.

Aqui e ali, ouve-se acerca de episódios em que homens abandonam as suas companheiras logo que tomam conhecimento do diagnóstico da microcefalia no feto, assim como sobre a sugestão de muitos para que se interrompa essa gestação através do abortamento. Somar crueldade à tragédia não é uma opção no enfrentamento desse problema.

Ao coarmos o mosquito, é bom sempre lembrar que a crise maior é de hombridade; e os que sofrerão mais serão as mulheres e as crianças.

Se, como nação, postergarmos o investimento naquilo que é básico, invariavelmente nos ocuparemos apenas de 'apagar os incêndios'.

O Zika é uma febre gravíssima que sinaliza outras mazelas nacionais.

Unamos esforços na luta contra o Aedes aegypti, combatendo consequências e causas.

Oremos pelo Brasil; oremos por nós mesmos.


Brasil, Fevereiro de 2016.
Aliança Cristã Evangélica Brasileira

fonte: http://aliancaevangelica.org.br/index.php/2011-08-19-13-59-20/noticias-alianca/item/386-mulheres-e-criancas-primeiro

Nova Coordenação da Redemi e Sedelim

REDEMI E SEDELIM

Todos nós, que fazemos parte do Corpo de Cristo, somos chamados para servir uns aos outros, no exercício dos dons recebidos, administrando fielmente a graça de Deus, em suas múltiplas formas, conforme nos ensina o apóstolo Pedro.

Continue Reading

Relatório da Diretoria

De agosto a novembro de 2015

Diretoria da CBN tem envidado esforços para atender às demandas das estaduais e para cumprir uma agenda de visitas e compromissos com as convenções estaduais, com departamentos e outras organizações cristãs, parceiras da CBN.

Estamos encerrando mais um ano e pela graça de Deus continuamos firmes nos propósitos para os quais fomos eleitos. O ano de 2015 foi difícil, pois vimos muitos dos pioneiros da Renovação Espiritual e da CBN partirem às mansões celestiais, entre eles podemos citar: Pr. Rosivaldo de Araújo, Irmã Mirian Araújo, Pr. Josué Santana, Pr. Joaquim Carvalho, Pr. Enéas Tognini, Pr. Joel Ferreira e outros. Isso fez com que o peso fique ainda maior sobre os nossos ombros, contudo também foi um ano de vitórias e avanços, dentre os quais podemos destacar a 1a Campanha Nacional de Oração e Jejum da nossa história, que reuniu centenas de Igrejas Batistas Nacionais e milhares de discípulos de Cristo em todo Brasil com dois propósitos: Renovação Espiritual e Cura para a nossa nação.

Ao findar 2015 queremos expressar nossa gratidão ao Senhor por tudo que fez em nosso meio; pelas igrejas e pastores fieis no envio do Plano Cooperativo Estadual e Nacional, e das ofertas para o Fundo de Solidariedade, sem os quais não conseguiríamos realizar tão grande obra.

Além disso, queremos ressaltar a elaboração de um plano de trabalho para a SENAM – Secretaria Nacional de Missões e a escolha do Pr. Odinei Ferreira, desde setembro passado, como secretário nacional; destacamos também a escolha do Pr. Elcimar Fernandes, desde setembro, como novo Coordenador da SEDELIM e REDEMI, assumindo o lugar do casal de Mis. Bruce e Ana Borquist.

Na área de parceria e investimento nas Estaduais, ressaltamos o fim da parceria entre a CBN Nacional e a CBN-RN, foram mais de cinco anos, e resultou num grande avanço da obra naquele Estado. Louvamos a Deus pela vida do Pr. José Rosa e sua esposa Sandra, que deram grande contribuição para o crescimento geral daquela convenção. Nesta mesma área, informamos a parceria da CBN, por meio da SENAM, fez com a CBN-CE, a partir de janeiro de 2016 até 2020.

Neste projeto a CBN enviará o Pr. José Rosa e a esposa para servirem àquele Estado em todas às áreas.

Entre as ações relevantes deste ano, enfatizamos o socorro imediato, feito pela Redemi, por meio do Fundo Nacional de Solidariedade, que nos permitiu ofertar R$ 30.000,00 para 20 (vinte) famílias além de uma igreja batista nacional, vitimadas pela inundação em Rio Branco/AC, em março.
Finalizamos o nosso relatório destacando algumas das visitas feitas e ainda as participações em encontros e eventos realizados em diversos Estados.

Agosto
Dia 22, o presidente, Pr. Edmilson, pregou em Capivari, na reunião da Associação da Regional da CBN-SP em Campinas, onde ministrou a Palavra e também divulgou a campanha de oração.
Dias 28 e 29, o presidente viajou para Itapetinga/BA e pregou no aniversário da 2a Igreja Batista, aproveitando a ocasião para conversar com o Pr. Odinei sobre a Senam.

Setembro
Nos dias 03 e 04, a diretoria se reuniu em Brasília, onde tratou de diversos assuntos, inclusive a definição das ações para 2016.
No dia 09, o presidente e o secretário geral Pr. Esdras Dias compareceram à cerimônia fúnebre do Pr. Enéas Tognini, na Igreja Batista do Povo, em São Paulo.
No dia 28, o presidente pregou na celebração do cinquentenário da Igreja Batista Monte Sinai em Vila Velha, ES e no dia 29 participou de uma reunião conjunta da CBN-ES e ORMIBAN-ES. Na ocasião, ministrou uma palavra devocional aos pastores e divulgou a campanha de oração.

Outubro
No dia 05, o presidente foi para Belo Horizonte/MG e se reuniu com o Dr. Pablo, advogado da CBN, para tratar de assuntos de interesse da convenção.
Nos dias 05 e 06, o presidente ministrou no Congresso de Pastores da ORMIBAN-MG.
No dia 06, o presidente fez uma visita ao Pr. Márcio Valadão, em seu escritório, na sede da Igreja Batista da Lagoinha. Neste mesmo dia, em companhia do Pr. Domingos, o presidente fez uma visita ao Pr. José Rego do Nascimento, que completará 94 anos em dezembro.
No dia 19, o presidente foi a São José dos Campos, onde visitou o Pr. Cláudio Ely D. Espíndola que se recuperava de problemas de saúde.
No dia 24, o presidente ministrou a Palavra na reunião da Ordem de São Paulo, que aconteceu de Araras/SP.
No dia 28 de setembro, o presidente em Belo Horizonte, assinou a escritura de venda da propriedade do STEB naquela cidade.
De 28 a 31 de outubro, o presidente representou a CBN no encontro Nacional de Capelães Militares da ACMEB, em Recife/PE.
No dia 29, o presidente pregou na Igreja Batista do Pina, em Recife, PE e no dia 31 foi ao 2o Congresso da Associação dos Diáconos de Pernambuco, na cidade de Ribeirão como um dos oradores.

Novembro
De 12 a 15, o presidente e o segundo secretário da CBN, Pr. José Rosa, fizeram na cidade de Sobral/CE, onde tiveram uma reunião com os pastores daquele Estado, na qual apresentaram a proposta da diretoria de enviar o Pr. José Rosa para um projeto de cinco anos naquela estadual.
No dia 14, o presidente ministrou a Palavra no Congresso da UEFBN do Ceará na cidade de Sobral.
No dia 18, o presidente enviou o Coordenador da REDEMI/SEDELIM, Pr. Elcimar Fernandes, a Governador Valadares/MG para acompanhar "in loco", a situação caótica resultante do rompimento da barragem em Mariana/MG.
No dia 21, o presidente foi à Igreja Batista Betel em Várzea Paulista/SP, por ocasião dos 35 anos de ministério do Pr. Jeremias Santana, onde também foi o preletor.

Sobre os Refugiados e a Responsabilidade da Igreja

Somos chamados a adotar um jeito hospitaleiro e compassivo de ser, um estilo de vida coerente com o caráter de Deus

O drama dos refugiados em massa – em especial nas fronteiras com a Europa – é complexo e envolve dimensões sociais, econômicas, políticas e espirituais. Talvez, nós, brasileiros, ainda não tenhamos condições de mensurar esta complexidade pelo fato de não ser este um problema que sofremos diretamente, tão de perto. No entanto, como cristãos, e como Igreja Evangélica Brasileira, podemos assumir algumas posturas:

1. Orar compassiva e intensamente para que todo estrangeiro refugiado não fique desamparado. Desde o Antigo Testamento, o Senhor tem se preocupado com os estrangeiros e tem orientado seu povo a não fechar suas portas para eles. Num contexto em que os estrangeiros costumavam ser considerados inimigos, Deus pediu a seu povo que os amassem (Dt 10.19) e que os tratassem com equidade (Lv 19.34). A "lei da rebusca" é um exemplo bem prático disso (Dt 24.18-22). Jesus reafirmou sua preocupação pelos mais frágeis (Mt 5) e foi enfático ao referir-se ao cuidado do forasteiro (Mt 25.35-40). A igreja também guardou este ensino (Rm 12.13)1. Lembramos que Jesus também foi um refugiado (Mt 2.14-15).

2. Adotar um estilo de vida hospitaleiro. Como bem nos lembrou Jacqueline Alencar, em artigo para o site Protestante Digital, "a hospitalidade não era apenas uma opção. A ninguém devia faltar o sustento, nem os direitos nem as obrigações. Quanto cuidado tinha Deus pelos diferentes, pelos que haviam sido acolhidos debaixo de suas asas! Como Rute, uma moabita, que não era judia entre as judias, no entanto, chegou a fazer parte da genealogia do mesmíssimo Jesus, filho de Deus. E Deus continua tendo o mesmo cuidado".
Embora a visibilidade do drama seja maior hoje, o problema é antigo. Para exemplificar, veja aqui o trabalho fotográfico de Alyson Montrezol em Meheba Refugee Camp, na Zâmbia, um dos mais antigos campos de refugiados do mundo, que existe desde 1970. Envolve também as outras formas de desamparo que acontecem no Brasil, principalmente, com as crianças.
Deus nos chama para adotarmos um jeito hospitaleiro e compassivo de ser. Não se trata apenas de dar um socorro, mas de adotar um estilo de vida coerente com o caráter de Deus.

3. Mobilizar para que estes refugiados recebam recursos para sobrevivência e, se possível, condições para que recomecem suas vidas, mesmo que temporariamente, em outro lugar. Para isso, felizmente, algumas organizações cristãs como Tearfund e Viva, já estão captando doações para que sejam transferidas em forma de alimentos e outros itens a famílias refugiadas.

4. Centenas de refugiados começam a chegar ao Brasil, e, nós, como igreja, podemos acolhê-los. É o que organizações como a Missão MAIS, Compassiva, Missão Paz e outras estão fazendo. Sua igreja local ou grupo cristão também pode envolver-se. Clique aqui e leia o relato sobre a visita do Pr. Elben César, da revista Ultimato, a estas organizações. Leia também como ajudar organizações internacionais.

5. Não há dúvidas de que acolher um refugiado exige de nós mais do que boa vontade. Precisamos reorganizar nossa rotina, abrir mão de algumas coisas e ter gastos financeiros e estarmos sujeitos a conflitos culturais. No Brasil, as igrejas locais podem fazer campanhas bem práticas de acolhimento a refugiados, mas não somente isso. Acolher os refugiados provavelmente nos mostrará que há muitos outros que aqui mesmo precisam de abrigo e hospitalidade. Num país onde o déficit habitacional é grande e a desigualdade social absurda sempre haverá a necessidade de expressarmos a hospitalidade cristã.

6. Questionar, bem ao tom profético da Bíblia, decisões estruturais e políticas quanto ao acolhimento de refugiados e investigar as causas históricas do problema. É verdade que os governos precisam tomar decisões justas, não simplesmente para autoproteger-se, mas sim para que haja cooperação de todos a fim de lidar com a migração em massa dos refugiados. Os tratados de cooperação internacional precisam ser revistos à luz da conjuntura atual e todos os países envolvidos precisam ser ouvidos e, ao mesmo tempo, precisam assumir seu papel. O problema é humanitário, e todas as nações precisam assumir sua responsabilidade tanto para acolher os refugiados quanto para ajudar a resolver as causas desta migração.

7. Lembrar das igrejas que estão nos países em conflito, de onde os refugiados fogem. Em 2014, o Concílio da Comunidade Evangélica da Síria e do Líbanopublicou nota pedindo que as igrejas e organizações cristãs de todo o mundo pressionem e influenciem governos que apoiam grupos radicais em áreas de conflito para que impeçam o fluxo de recursos e armas para os "takfiri" e grupos radicais. A nota também encoraja que as comunidades cristãs "continuem sendo agentes disseminadores da cultura de amor, paz e direitos humanos, bem como do pluralismo intelectual, educacional e religioso".
A Aliança Evangélica2, coerentemente com suas convicções cristãs, deseja dar sua contribuição ao enfrentamento do problema dos refugiados. Mesmo diante da complexidade da questão, queremos estimular e encorajar que a Igreja de Cristo seja exemplo de testemunho, que seja "sal e luz" diante deste desafio gigantesco. É preciso enxergar as dimensões da crise com os olhos de Cristo. Que Deus nos ajude a fazer isso.

Aliança Evangélica Brasileira

Notas:
1. Artigo "Despertar al drama" no site em espanhol Protestante Digital.
2. Este texto é baseado no editorial do Portal UItimato, com o qual concordamos, acrescido de sugestões do Conselho Coordenador da Aliança.
Foto: Anna Zehetner/ IFRC – Áustria (05/09/2015) / Fotos Públicas.
Legenda: Voluntários da Cruz Vermelha austríaca recebeu milhares de imigrantes em Nickelsdorf de passagem da fronteira da Hungria, com bebidas quentes e alimentos, fornecendo assistência médica e atividades de lazer para as crianças.

fonte: www.aliancaevangelica.org.br/index.php/2011-08-19-13-59-20/noticias-alianca/item/352-refugiados-e-a-resp-igreja

  • 1
  • 2