A Igreja Local e o Pastoreio do seu Pastor

"Conta-se, quando Davi cuidava das ovelhas de seu pai, em certa noite de lua cheia, dedilhando sua harpa perguntou a si próprio.
Eu sou pastor destas ovelhas, cuido delas provendo pasto, água e as protejo das feras do campo, mas, quem é o meu pastor?
Quem cuida de mim?
Aí ele começou a cantar: O Senhor é o meu pastor, nada me faltará... Salmo 23".

O Senhor cuidava de Davi através do pastoreio de sua família. Quem não for ovelha não pode ser pastor. O pastor é também ovelha e precisa ser cuidado e tem a necessidade de ser pastoreado pela sua igreja. O que nos leva a crer que a igreja local precisa ser despertada para pastorear o seu pastor.

Ao longo dos anos temos visto muitos pastores caírem ao caminho, e não encontrarem forças para se erguerem outra vez. Cremos piamente que o pastor também é uma ovelha que precisa ser pastoreada.

Sendo assim, entendemos ser papel da ORMIBAN dar aos seus membros e credenciados a oportunidade de serem alcançados por uma rede de relacionamentos comprometidos e saudáveis, que enfoque Deus, o indivíduo (pastor), a família pastoral e consequentemente o ministério.

Por muito tempo se perpetuou uma visão a respeito da igreja: Templo - Sacerdote - Povo. O relacionamento era estanque e não aflorava cuidado mútuo de responsabilidade e muito pouca intimidade. Em virtude desse conceito o Sacerdote era considerado um semi-Deus. Naquele em que se buscava todas as respostas para os problemas da vida do povo.

1. Igreja Local - é o cenário onde acontece as ações de Deus, do pastor e da própria Igreja.

Igreja: Uma comunidade de relacionamentos cada vez mais profundos.

"Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade
exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou
das trevas para a sua maravilhosa luz".
I Pedro 2.9

A igreja é uma família e um corpo. Também é uma comunidade. Isso significa que a igreja é um lugar onde você muda de "eu" para "nós".

"Porque, assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros,
sendo muitos, constituem um só corpo, assim também com respeito a Cristo.
Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos".
I Corintios 12.12,14

Embora o Novo Testamento não utilize a palavra comunidade para descrever a igreja, a imagem de comunidade aparece em diversos lugares. No melhor sentido do termo, uma comunidade é um grupo de pessoas comprometidas umas com as outras, que pertencem umas às outras.

Como comunidade de crentes regenerados em Jesus Cristo, pertencemos ao próprio Cristo. Somos também "membros uns dos outros". Romanos 12.5 "assim também nós, conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros". Pertencemos uns aos outros. O "uns aos outros" fala de comunidade.

Em nossas comunidades só é pastoreado quem tem necessidade e sente que precisa. Muitos membros estão arrolados e até participam dos trabalhos da igreja, mas, não se deixam e não querem ser pastoreados, vivem independentes e muitas vezes a margem do corpo.

Tanto quanto a Igreja tem necessidades e precisa ser pastoreada, por sua vez, o pastor também tem necessidade e precisa querer e se deixar ser pastoreado.

A superficialidade nos relacionamentos hoje no seio do Corpo de Cristo gera a indiferença de uns aos outros e em decorrência as pessoas não tem vínculos, as amizades se quebram com facilidade.

A Igreja Local precisa ser despertada para aproveitar a grande oportunidade que tem de pastorear o seu próprio pastor, honrando-o, expressando gratidão, reconhecendo nele a dádiva de Deus, cuidando dele e da sua família nas mais variadas necessidades. Pois, um pastor saudável terá uma igreja saudável. Um pastor cuidado ter-se-á uma igreja cuidada e abençoada.

Os discípulos de Jesus valorizam relacionamentos.
Os discípulos de Jesus protegem o corpo contra poluição e infecção.
Os discípulos de Jesus contribuem para o crescimento uns dos outros.
Os discípulos de Jesus servem uns aos outros.

A vida da Igreja é essencialmente vida de relacionamentos (comunhão-mutualidade), e o pastor está incluso, pois faz parte do corpo de Cristo a Igreja e a igreja local.

Larry Crabb escreve:
"A igreja é uma comunidade de pessoas em uma jornada em direção a Deus.
Onde quer que haja unidade sobrenatural e movimento dirigido pelo
Espírito, aí está a igreja - uma comunidade espiritual".

Na unidade é que o Senhor ordena a sua benção e a vida para sempre:

A excelência da união fraternal.

"Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos!
É como o óleo precioso sobre a cabeça, o qual desce para a barba,
a barba de Arão, e desce para a gola de suas vestes.
É como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião.
Ali, ordena o Senhor a sua benção e a vida para sempre".
Salmo 133

2. O seu Pastor - A promessa de Deus é que Ele daria pastores e não gerentes.

"Dar-vos-ei pastores segundo o meu coração,
que vos apascentem com conhecimento e com inteligência".
Jeremias 3.15

O pastor é homem chamado, vocacionado, consagrado, íntegro, de caráter, capaz, abençoados, amigo, temente a Deus, trabalha a sua espiritualidade, que se santifica e se esmera em cumprir o seu ministério com a benção de Deus, mas, é homem de carne e ossos não está livre das paixões do mundo.

Na visão do sacerdote ser um semi-deus. A Igreja cresceu e os pastores passaram a ser considerados da mesma forma. Ou seja, pastor não tem necessidade. O pastor precisa dar tudo de si, e nem lhe é permitido às vezes manifestar sua necessidade de oração. A verdade é que o pastor também é gente.

Os títulos do pastor não são o mais importante, a importância maior é não perder a beleza da vocação. O grande profeta Elias, profeta do fogo, perdeu a beleza da vocação - porque andava só - não se deixava pastorear.

Em uma de nossas conferências missionária tempos atrás, um casal de missionários de uma agência missionária, deu um testemunho a respeito de sua experiência no campo. O seu testemunho foi um desabafo, era fruto de corações amargurados, sofridos, abandonados. Eles tiveram coragem de falar, embora numa ocasião imprópria, no entanto, revelaram que precisavam de cuidado e de pastoreio.

O pastor precisa ser um homem bem resolvido, para pastorear e ajudar os outros. Ele não pode se achar que é infalível e por sua vez a igreja também não.

Precisamos admitir que um grande número de pastores e missionários (líderes), tem medo de reconhecer que se sentem "abandonados" pela igreja local. O exercício do ministério desses líderes se tornou inconseqüente (sem sentido), uma vez que a magoa domina seus corações e pensam em deixar a sua igreja e até em certos casos abandonar o ministério por se sentirem desapontados com a igreja local.

São até reconhecidos como pastor, missionário e líder, mas em muitos casos não são aceitos como pessoas que tem sentimentos, como companheiros, amigos. Muitos vivem o ministério em solidão e até sofrem com a depressão por se sentirem sozinhos, não valorizados, não respeitados.

A igreja local muitas vezes trata o seu pastor como se fosse um empregado que só tem obrigações e têm que estar disponível as vinte e quatro horas do dia. Sempre disposto, bem humorado, sorrindo, resolvendo todos os problemas da comunidade.

O contrário é verdadeiro há aqueles pastores que se acham semi-deuses e não reconhecem que precisam ser pastoreados, cuidados e até aconselhados.

A Bíblia chama-os de "O Pastor Insensato", aqueles que estão confundindo sua vocação pastoral para exercer uma função "gerencial ou empresarial", com o fim em si mesmas.

"O Senhor me disse:
Toma ainda os petrechos de um pastor insensato, porque eis que suscitarei um pastor na terra,
o qual não cuidará das que estão perecendo, não buscará a desgarrada não curará a que foi ferida,
nem apascentará a sã; mas comerá a carne das gordas e lhes arrancará até as unhas".
Zacarias 11.15-17

"Veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo:
Filho do homem, profetiza contra os pastores de Israel; profetiza e dize-lhes:
Assim diz o SENHOR Deus:
Ai dos pastores de Israel que se apascentam a si mesmos! Não apascentarão os pastores as ovelhas?
Comeis a gordura, vestis-vos de lã e degolais o cevado; mas não apascentais as ovelhas.
A fraca não fortalecestes, a doente não curastes, a quebrada não ligastes, a desgarrada não tornastes a trazer
e a perdida não buscastes; mas dominais sobre elas com rigor e dureza.
Assim se espalharam, por não haver pastor, e se tornaram pasto para todas as feras do campo.
As minhas ovelhas andam desgarradas por todos os montes e por todo elevado outeiro;
as minhas ovelhas andam espalhadas por toda a terra, sem haver quem as procure ou quem as busque.
Portanto, ó pastores, ouvi a palavra do SENHOR:
Tão certo como eu vivo, diz o SENHOR Deus, visto que as minhas ovelhas foram entregues à rapina (ao saque)
e se tornaram pasto para todas as feras do campo, por não haver pastor, e que os meus pastores não procuram as minhas ovelhas, pois se apascentam a si mesmos e não apascentam, as minhas ovelhas, -
portanto, ó pastores, ouvi a palavra do SENHOR:
Assim diz o SENHOR Deus: Eis que eu estou contra os pastores e deles demandarei as minhas ovelhas;
porei termo no seu pastoreio, e não se apascentarão mais a si mesmos;
livrarei as minhas ovelhas da sua boca, para que já não lhes sirvam de pasto".
Ezequiel 34.1-10

3. O Pastoreio - É uma ação de Deus através de alguém: o pastor, a comunidade - igreja.

Para se ter uma base Bíblica para a Igreja Local pastorear o seu pastor é só lembrar os Mandamentos da Mutualidade.

O termo mutualidade se refere às expressões recíprocas, ou seja àquelas frases do Novo Testamento onde aparecem as palavras uns aos outros. "que vos ameis uns aos outros"; "consolai-vos uns aos outros"; "levai as cargas uns dos outros"; "tenham igual cuidado uns pelos outros" e etc.

Descrevem situações em que o cristão "A" faz algo pelo cristão "B"; e o cristão "B", por sua vez, se dispõe a fazer a mesma coisa em favor do irmão "A".

As expressões recíprocas do Novo Testamento - podemos chamá-las de mandamentos recíprocos - indicam as nossas obrigações mútuas e a nossa oportunidade de expressar a vida em comum, a nossa mutualidade.

Para definir mutualidade, primeiro precisamos definir o que é comunhão. Comunhão é a tradução portuguesa mais usual da palavra grega "Koinonia" (koinos: comum). O significado literal é: "Qualidade de existir em comum; participação mútua". E dá as seguintes idéias:

1º. "Relação ou associação íntima entre cristãos e Deus, e de cristãos uns para com os outros", conforme Gl. 2.9; I Co. 1.9; II Co. 13.13; Fp. 2.1-4; e I Jo. 1.3,6,7.

2º. "Compartilhar bens materiais para suprir necessidades de outros; um donativo etc.", conforme II Co. 8.4; 9.13; Rm. 15.26; Hb. 13.16.

3º. "Participação mútua na obra do Evangelho ou no sofrimento. Participação em diversas atividades, inclusive na ceia do Senhor", conforme At. 2.42; I Co. 10.16; Fp. 1.5; 3.10 e Fm.6.

Então de acordo com o Novo Testamento, a comunhão tem a ver com aquela relação pessoal que os cristãos gozam com Deus e uns com os outros, em virtude de serem unidos a Jesus Cristo. Quem estabeleceu essa relação foi o Espírito Santo, que habita em todo cristão, unindo-o a Cristo e a todos os que são de Cristo. Essa relação se expressa de diversas maneiras, entre as quais: "compartilhar bens materiais, cooperar na obra do Evangelho, e manter a unidade e o amor entre os cristãos" (At. 2.41-47).

Isto posto podemos afirmar que Mutualidade é um estilo de vida afinado com os mandamentos do Novo Testamento a respeito daquilo que os cristãos devem fazer uns aos outros para expressar o seu amor e unidade. Naturalmente, a mutualidade também trata de coisas que os cristãos devem fazer uns aos outros, a fim de preservarem o ambiente de amor e unidade.

Comunhão e Mutualidade - A relação entre uma e outra é de causa e efeito. Onde existe a comunhão, ela se manifesta por meio da mutualidade. "A Mutualidade é o Coração do Ministério Geral da Igreja".

Alguns textos:

I Coríntios 12. 24b-25 "Mas Deus estruturou o corpo dando maior honra aos membros que dela tinham falta,, a fim de que não haja divisão no corpo, mas, sim, que todos os membros tenham igual cuidado uns pelos outros".

Filipenses 4. 10, 14 18 "Alegrei-me sobremaneira no Senhor porque, agora, uma vez mais, renovaste a meu favor o vosso cuidado; o qual também já tínheis antes, mas vos faltava oportunidade. Todavia, fizeste bem, associando-vos na minha tribulação. Recebi tudo, e tenho abundância; estou suprido, desde que Epafrodito me passou às mãos o que me veio de vossa parte, como aroma suave, como sacrifício aceitável e aprazível a Deus".

O pastor deve ser alvo de todo este cuidado por parte da igreja local.

O pastor é constituído de corpo, alma e espírito.

a. Corpo - necessidades físicas de : alimentação, habitação, vestuário, transporte, descanso, hospitalidade, saúde, médico, medicação, sustento financeiro digno: valor nominal, fgtm - fundo de garantia por tempo de ministério, plano de saúde e dental, décimo terceiro sustento e férias.

b. Alma - necessidades emocionais de: aceitação, reconhecimento, respeito, encorajamento, amor, perdão, afetividade, companheirismo, ajudar a levar os fardos emocionais: preocupações com a família, igreja e ministério.

c. Espírito - necessidades espirituais de: intercessão, fé (evitar a cegueira espiritual), tempo para leitura da Bíblia, meditação, reflexão, oração e intimidade com Deus, estar na presença de Deus, santidade, estar no propósito de Deus.

d. Ministério - necessidade na obra: ajudar a confirmar o chamado, crescer na vocação, cobrir deficiências e habilidades nas áreas onde se acha deficiente, compartilhar anseios íntimos do coração. Um pastoreio responsável por parte da igreja local é de se aproximar de seu pastor, procurar conhecê-lo na sua integridade. Reconhecer sua autoridade, respeitá-lo como líder e pessoa. Ajudá-lo a não se transformar em um líder-deus.

e. Família - A igreja local não pode se descuidar da família do pastor. A esposa e os filhos do pastor precisam se sentir aceitos, apoiados e prestigiados pela comunidade. Em muitas igrejas a esposa do pastor não é conhecida pelo seu nome e sim a "esposa do pastor", assim como os filhos também.

Quando o pastor já não tem mais vigor para exercer o pastorado a igreja deve prover sua aposentadoria ou completá-la para que ele tenha um sustento digno para sua manutenção.

claudio ely



Pr. Claúdio Ely

Igreja Batista do Povo
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.